domingo, 26 de fevereiro de 2012

A FOSSA


Outro dia, percebi que a fossa de minha casa estava cheia, pois o mal cheiro era tanto que até meu pouco olfato podia percebe-lo. Isso nunca havia me ocorrido. 

Já morei em tantas casas e nunca tive o desprazer de ter uma fossa cheia, transbordando. Pra não dizer que nunca passei por isso, lembro-me de quando ainda morava com meus pais que a fossa de uma casa que morávamos encheu. Meu pai foi atrás do proprietário pra resolver a questão. 

O correto seria chamar o caminhão limpa fossa, mas pelo contrário, o dono da casa encheu a cara de cachaça e foi ele mesmo limpar a fossa. Entrou lá dentro e começou a jogar a porcaria pela rua afora. Saiu de lá todo enlameado e deixou um perfume agradabilíssimo para todos da vizinhança. 

Sorte dele que não apareceu ninguém da saúde pública para aplicar-lhe uma reprimenda seguida de multa. Talvez ninguém da rua o tenha denunciado por medo de sua reação agressiva. 

Quem tem coragem de entrar dentro de uma fossa transbordando merda, com certeza pode fazer pior.

Bom, voltando aos dias atuais. Moro nessa casa há dois anos, portanto a fossa demorou pelo menos esse tempo pra encher. Tudo bem, o dono da casa chamou o limpa fossa que fez a limpeza pelo valor de R$ 100,00. 

Até aí tudo bem, normal que um dia se encha depois de tanto tempo recebendo excremento. O que eu não esperava, é que em menos de trinta dias ela se enchesse de novo. Pois é, foi o que aconteceu. Pensei logo que foi serviço mal feito. Entramos em contato com o limpa fossa e o responsável disse que limparia novamente, mas cobraria outros cem reais. 

Difícil de engolir. Da pra aceitar que uma fossa que demorou pelo menos dois anos pra encher se encha novamente em menos de trinta dias? Não dá né?  A explicação do fosseiro é que quando ela permanece cheia por muito tempo e é limpa ou esvaziada as águas voltam. Agora, pelo que eu sei, só pode voltar aquilo que se foi. 

Então entendi que essa era uma versão do famoso filme – “A volta dos que não foram”. Tomara que não comessem a repetir essas porcarias. Já pensou, aí na segunda sessão teria “Tarzan pelado em cima do pé de alface”. “Topei dano com vara de toca gado”, “Vamo ir já que ta pingano”. É ruim hein?

Difícil aceitar mesmo, ou alguém aí pode confirmar o tal fenômeno descrito pelo proprietário do limpa fossa. Não gosto de ser injusto e no momento estou me sentindo assaltado à mão desarmada. Enganado não, pois estou muito consciente dessa história. E somente contratei a mesma empresa, pois aqui na cidade não tem outro limpa fossa.

Fui obrigado a pagar novos R$ 100,00 pra uma nova limpeza da fossa e foi muito dolorido fazê-lo. Passaram a mão no meu bolso, na minha conta bancária. 

Já estou orando, pedindo a Deus pra ela não encher tão cedo. Que dure outros dois anos pelo menos.
         
Você pode imaginar como estou nesse momento? Claro que sim eu imagino. Numa tremenda “fossa”.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário